Três ficções, duas brasileiras e uma colombiana, serão exibidas nas Mostras Sociais do 31º Cine Ceará – Festival Ibero-americano de Cinema, que acontece de 27 de novembro a 3 de dezembro de 2021 de forma presencial em Fortaleza, em TV por assinatura, TV aberta e online. O Primeiro Filme a Gente Nunca Esquece, para crianças, Acessibilidade e Melhor Idade, são mostras realizadas anualmente pelo festival, cumprindo um de seus objetivos, que é democratizar o acesso ao cinema, promovendo a exibição de filmes especialmente para cada um desses públicos.

A sessão da mostra O Primeiro Filme a Gente Nunca Esquece será no Cineteatro São Luiz, equipamento da Secretaria da Cultura do Ceará (Secult CE), gerido pelo Instituto Dragão do Mar (IDM), tendo como público-alvo prioritário alunos de escolas cadastradas para a exibição. Para a programação presencial o festival seguirá os protocolos sanitários vigentes do setor de audiovisual/cinema, estabelecidos pelo Governo do Ceará por meio de decreto. A exemplo da edição anterior, as mostras Melhor Idade e Acessibilidade serão exibidas na TV Ceará (TVC), emissora mantida pela Fundação de Teleducação do Ceará – Funtelc, vinculada à Secretaria da Casa Civil do Governo do Estado.

OS FILMES

Na mostra O Primeiro Filme a Gente Nunca Esquece será exibido o longa-metragem “Pequenos guerreiros” (2021), uma ficção dirigida pela cearense Bárbara Cariry. No filme, Cosme e Dona Maria, acompanhados do filho Benedito e dos sobrinhos Matheuzinho e Bruna, fazem uma viagem do litoral até a cidade de Barbalha, onde vão pagar uma promessa na Festa do Pau da Bandeira. A viagem é uma descoberta das paisagens, das histórias e das riquezas culturais do sertão. As três crianças vivem um processo de encantamento e afetividade e, depois da bonita aventura, Bruna, Matheuzinho e Benedito serão para sempre grandes amigos.

Na mostra Acessibilidade o festival exibe na TVC o filme “Se arrependimento matasse” (2019), longa de ficção da diretora cearense Lília Moema Santana. Conta a história de quatro mulheres, que compartilham de um só arrependimento. O encontro inusitado entre Glória, prepotente professora universitária, Isabel Cristina, quarentona romântica, Duda, adolescente problemática e Adelaide, dona de casa depressiva, vai desenrolar uma trama cheia de conflitos, humor, suspense e um final surpreendente.

A produção colombiana “Amália, a secretária” (2017), do diretor Andrés Burgos, estará na Mostra Melhor Idade, na TVC. Em 2018 o filme integrou a Mostra Competitiva de Longa-metragem do Cine Ceará. Nesta ficção, Amalia é uma secretária rigorosa e um tanto chata, que vê sua monótona vida virar de pernas para o ar ao conhecer o novo responsável pela manutenção da empresa onde trabalha. Ela ficará à procura de coisas precisando de reparo (ou quebrando-as ela mesma) só para poder ficar perto dele.