“Não Te Amo Mais”, de Yasmin Gomes, conquista o prêmio de Melhor Curta-metragem. Lázaro Ramos foi homenageado na solenidade de encerramento.  

Terminou na noite de sexta-feira, 11 de dezembro/2020, o 30º Cine Ceará – Festival Ibero-americano de Cinema. A cerimônia de premiação foi gravada no Theatro José de Alencar e transmitida na tela do Cineteatro São Luiz, seguindo os protocolos de biossegurança, no canal do festival no Youtube e na TV Ceará.  O filme “A Meia Voz”, de Patricia Pérez e Heidi Hassan, foi o vencedor. O documentário autobiográfico ganhou o Troféu Mucuripe nas categorias de Melhor Longa-metragem e Melhor Montagem, para Heidi Hassan, Patricia Pérez e Diana Toucedo, e prêmio no valor de R$ 20 mil para distribuição do filme no Brasil, conforme regulamento do festival.O prêmio de Melhor Direção foi para Théo Court por “Branco no Branco”. A coprodução Chile-Espanha-França-Alemanha também venceu nas categorias de Trilha Sonora Original (Jonay Armas), Melhor Som (Carlos García) e Direção de Arte (Amparo Baeza). O prêmio de Melhor Atriz foi para Amanda Minujín por “As Boas Intenções”, de Ana García Blaya, e o de Melhor Ator foi para Roney Villela por “A Morte Habita à Noite”, de Eduardo Morotó.Indicado por seu país a uma vaga de Melhor Filme Internacional no Oscar 2021, “Era Uma Vez na Venezuela”, documentário de Anabel Rodríguez Ríos, conquistou o Prêmio da Crítica de Melhor Longa-Metragem, eleito pelo Júri Abraccine (Associação Brasileira de Críticos de Cinema). A coprodução Venezuela-Reino Unido-Áustria-Brasil também foi premiada pelo Júri Oficial por Melhor Roteiro (Anabel Rodríguez Ríos e Sepp Brudermann) e Melhor Fotografia (John Márquez).COMPETITIVA BRASILEIRA DE CURTA-METRAGEMNa Competitiva Brasileira de Curta-metragem o filme “Não Te Amo Mais”, de Yasmin Gomes, ganhou o Troféu Mucuripe de Melhor Curta, eleito pelo júri oficial da mostra, e o Prêmio CTAv (Centro Técnico Audiovisual).Já “O Barco e o Rio”, de Bernardo Ale Abinader, venceu o Prêmio da Crítica, concedido pelo Júri Abraccine, e o Troféu Samburá de Melhor Curta-Metragem, oferecido pela Fundação Demócrito Rocha e o Vida & Arte.O júri oficial concedeu o Troféu Mucuripe de Melhor Direção para Diego Freitas pelo curta “A Volta para Casa” e o de Melhor Roteiro para “A Beleza de Rose”, de Natal Portela, vencedor do Troféu Samburá de Melhor Diretor. Na solenidade de premiação também foi concedido o Prêmio Canal Brasil de Curta-metragem. O vencedor, “5 estrelas”, de Fernando Sanches, foi agraciado com R$ 15 mil.OLHAR DO CEARÁ“Cabeça de Nêgo”, de Déo Cardoso, foi o vencedor do Troféu Mucuripe de Melhor Longa da Mostra Olhar do Ceará, eleito pelo júri oficial.“Noite de Seresta”, de Sávio Fernandes e Muniz Filho, foi eleito Melhor Curta-metragem pelo júri oficial da mostra e ganhou, além do Troféu Mucuripe, o Prêmio Unifor de Audiovisual no valor de R$ 5 mil.O Júri Olhar Universitário, formado por alunos de audiovisual da Universidade Federal do Ceará, Unifor, Vila das Artes e Porto Iracema das Artes, concedeu o Prêmio Olhar Universitário de Melhor Curta-Metragem para “Terceiro Dia”, de Jéssica Queiroz.O longa-metragem “Rio de Vozes”, de Andrea Santana e Jean-Pierre Duret, foi o vencedor do Prêmio Enel de Sustentabilidade, no valor de R$ 5 mil. Foi escolhido por ser o filme que melhor desenvolveu a temática “Um mundo melhor e mais sustentável para as gerações futuras”.MOSTRA HÁBITOSEscolhido pelo júri Olhar Universitário, o Prêmio Cagece Mostra Hábitos de Melhor Curta-metragem, no valor de R$ 3 mil, foi para “Trajetória”, de José Walter Brilhante Júnior. A mostra, voltada para a realização de filmes captados em aparelho celular e dispositivos móveis, foi uma realização do 30° Cine Ceará em parceria com a Companhia de Gestão de Recursos Hídricos - CAGECE.HOMENAGEM A LÁZARO RAMOSAntes do anúncio dos vencedores foi realizada a solenidade de encerramento, gravada no Cineteatro São Luiz. Lázaro Ramos foi homenageado pelo festival, recebendo o Troféu Eusélio Oliveira. O ator enviou um vídeo de agradecimento, projetado na ocasião. “Muito obrigado não só por esse prêmio, por esse reconhecimento, por esse estímulo, mas muito obrigado pelo Cine Ceará estar completando 30 anos e permanecendo, mesmo nesse ano tão difícil! Que bom que o Cine Ceará está acontecendo! Que bom que a gente pode estar conversando aqui, celebrando o cinema e acreditando que a gente vai fazer mais. Lazinho fica todo emocionado nessas horas, porque Lazinho quando tava lá em Salvador queria só se comunicar. Quando Lazinho recebe um abraço desses ele entende o compromisso, entende o carinho e fica muito grato”.Após a homenagem foi exibido o longa-metragem “Silêncio da Chuva”, de Daniel Filho, em sessão hors-concours. Inspirado no romance policial de Luiz Alfredo Garcia-Roza, o filme narra a saga do detetive Espinosa (Lázaro Ramos) e da policial Daia (Thalita Carauta) em solucionar o mistério que envolve a morte do executivo Ricardo (Guilherme Fontes). O longa é produção da Lereby, em coprodução com Globo Filmes e distribuição da Elo Company.O 30º Cine Ceará – Festival Ibero-americano de Cinema é uma realização do Ministério do Turismo, através da Secretaria Especial da Cultura, da Associação Cultural Cine Ceará e da Bucanero Filmes. Tem o apoio institucional do Governo do Estado do Ceará, por meio da Secretaria da Cultura, e da Universidade Federal do Ceará, via Casa Amarela Eusélio Oliveira. Conta com o Canal Brasil como Exibidor Oficial, com o apoio cultural da Cegás, CTAV e Unifor. Tem ainda o patrocínio VIP da Indaiá, Esmaltec e Banco do Nordeste e o patrocínio da Cagece, Adria e Piraquê, através da Lei Estadual de Incentivo à Cultura (SIEC) e da Lei Federal de Incentivo à Cultura. Agradecimentos: Enel.OS VENCEDORESMOSTRA COMPETITIVA IBERO-AMERICANA DE LONGA-METRAGEMMelhor Longa-metragem“A Meia Voz”, de Patricia Pérez e Heidi HassanMelhor DireçãoThéo Court, por “Branco no Branco”Melhor AtrizAmanda Minujín, por “As Boas Intenções”Melhor AtorRoney Villela, por “A Morte Habita à Noite”Melhor RoteiroAnabel Rodríguez Ríos e Sepp Brudermann, por “Era Uma Vez na Venezuela”Melhor FotografiaJohn Márquez, por “Era Uma Vez na Venezuela”Melhor MontagemHeidi Hassan, Patricia Pérez e Diana Toucedo, por “A Meia Voz”Melhor Trilha Sonora OriginalJonay Armas, por “Branco no Branco”Melhor SomCarlos García, por “Branco no Branco”Melhor Direção de ArteAmparo Baeza, por “Branco no Branco”MOSTRA COMPETITIVA BRASILEIRA DE CURTA-METRAGEM Melhor Curta-metragem“Não Te Amo Mais”, de Yasmin GomesMelhor Direção“A Volta para Casa”, de Diego FreitasMelhor Roteiro“A Beleza de Rose”, de Natal PortelaPrêmio Aquisição Canal Brasil“5 Estrelas”, de Fernando SanchesTroféu Samburá Melhor Curta-metragem“O Barco e o Rio”, de Bernardo Ale AbinaderTroféu Samburá Melhor DiretorNatal Portela, por “A Beleza de Rose”MOSTRA OLHAR DO CEARÁMelhor Longa-metragem“Cabeça de Nêgo”, de Déo CardosoMelhor Curta-metragem“Noite de Seresta”, de Sávio Fernandes e Muniz FilhoPrêmio Unifor de Audiovisual“Noite de Seresta”, de Sávio Fernandes e Muniz FilhoPrêmio Olhar Universitário de Melhor Curta-metragem“Terceiro Dia”, de Jéssica QueirozPrêmio Enel de Sustentabilidade“Rio de Vozes”, de Andrea Santana e Jean-Pierre DuretPRÊMIO DA CRÍTICAPrêmio da Crítica Melhor Longa-metragem“Era Uma Vez na Venezuela”, de Anabel Rodríguez Prêmio da Crítica Melhor Curta-metragem“O Barco e o Rio”, de Bernardo Ale AbinaderMOSTRA HÁBITOS Prêmio Cagece Mostra Hábitos“Trajetória”, de José Walter Brilhante Júnior